terça-feira, 23 de agosto de 2011

Deputado assaltado defende controle de natalidade para combater crime

Roubo aconteceu na manhã desta terça (23), no Morumbi, Zona Sul de SP.
Político também cobrou aumento salarial para policiais do estado.


Raphael Prado
Do G1 SP

O deputado estadual Antonio Salim Curiati (PP), que foi assaltado na manhã desta terça-feira (23) (Foto: Raphael Prado/G1)
O deputado estadual Antonio Salim Curiati (PP), que foi assaltado na manhã desta terça-feira (23)
(Foto: Raphael Prado/G1)
O deputado estadual Antonio Salim Curiati (PP), assaltado na manhã desta terça-feira (23) em sua casa no Morumbi, Zona Sul de São Paulo, defendeu que uma das medidas para a contenção do crime seja o controle da natalidade e criticou programas sociais do governo federal. "A Dilma vem para cá falar de Bolsa Família... Aí você agracia a comunidade carente, e eles começam a ter filhos à vontade. É preciso controlar a paternidade", afirmou.

Ferimento que, de acordo com o deputado, foi provocado pelos criminosos por uma chave de fenda, durante assalto (Foto: Raphael Prado/G1)
Ferimento que, de acordo com o deputado, foi
provocado pelos criminosos por uma chave de
fenda durante o assalto (Foto: Raphael Prado/G1)
Por volta das 8h, quatro criminosos invadiram a residência do deputado, enquanto dois aguardaram do lado de fora, segundo o relato do parlamentar. Eles levaram R$ 13 mil em dinheiro e joias. De acordo com o deputado, os homens foram "muito violentos" e o feriram no braço com uma chave de fenda.

"Em alguns países, se alguém é pego roubando, cortam a mão dele. Se pegam de novo, cortam a outra mão. Mas eu sou menos radical", afirmou, em seu gabinete na Assembleia Legislativa. Ele criticou a gestão da segurança pública. "É preciso dar aumentos tanto para (policiais) civis quanto para militares", disse.

'Discriminação'
Durante o assalto, o deputado disse que se identificou apenas como médico - sua atividade profissional - e que isso foi melhor para ele. "Se tivessem me identificado como deputado, seria pior. Porque o deputado é discriminado. A imprensa só fala mal do Poder Legislativo."

O assalto
De acordo com Curiati, enquanto uma funcionária da casa colocava o lixo na rua, os criminosos aproveitaram a abertura do portão para invadir a residência. Além do político de 83 anos, estavam no local sua mulher, de 78, duas funcionárias, o motorista e um vigia. "São pessoas humildes, mas bem qualificadas, quase da família", disse Curiati.

Os criminosos agiram em cerca de 20 minutos, segundo o deputado. Ele contou também que tem um revólver calibre 38 em casa, mas que preferiu não usar a arma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário